sábado, 27 de fevereiro de 2016

Meus Cozinheiros Lindos



Vovó adoça a vida dos netinhos...


Quantas farras já fizemos juntos e isso não tem preço...

video




video


video

video

video
video

video

video


video



video




segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Férias em Família


família é, na vida da gente, o motivo mais do que justo para a gente se empenhar em mimar...
Ultimamente, como moramos em dois Estados distintos, sempre comemoramos em duas etapas... já imaginaram?
São dois Natais... Páscoas... Dia das Mães não poderia ser diferente... Um no RJ e outros no ES...


Lá na cidade onde mora a mãe, encontrei várias amigas que, a cada abraço, me fizeram crer na força da amizade que não se extingue e vai além espaço geográfico...
Encontrando-as casualmente, à beira da praia, cada abraço bem gostoso... reveladores de saudade do tempo que se foi...
Entre uma pequena pausa para o repouso necessário, outra estendida à casa da filha...
Festival de Inverno em Domingos Martins no ES... Lindo demais!
Gosto muito do clima frio... do jeito italiano de ser...
A cultura do local belíssimo onde eles residem me faz ser grata a Deus por tanto carinho que nem merecemos...

O encontro mais do que amoroso na chegada... beijos e abraços a não poder mais... O netinho parece que vai explodir quando me vê e eu não fico atrás... Neto e avó na mesma emoção...
A filha já se conforma em receber o segundo abraço... bem apertado e um a três... com o pequeno em nosso seio...
No dia seguinte, enquanto ele vai à creche...



Férias é escolher por ser mais feliz...

O amor de mãe e filha é mais forte do que tudo...

Falar das férias não é a mesma coisa que viver as férias com toda intensidade d'alma...

Os meus queridos se foram hoje... ainda há pouco... sabem como anda meu coração?

Já chorei rios de lágrimas... saudade pura!




Recordação de tudo... de todas as farras... de todos os passeios... parquinhos... praia... Praça... super mercado a comprar delícias que cada um gosta... comidinhas a mais... cozinha que quase não para arrumada... sobremesas variadas... para todo paladar... afinal, mãe é mãe...

No dia 20, mais um período de reunião familiar... férias... feriado prolongado... panelas e travessa maiores tiradas dos armários... sobremesas mais caprichadas... comidinhas especiais...

Muitos risos... alegria sem fim... mil beijinhos do netinho amado... o "eu te amo" à flor da pele... convivência cheia de risos até altas horas e os vizinhos que nos perdoem... tentamos minimizar as vozes mas todos queremos contar as novidades desde as Festas de fim de ano onde nos reunimos por último...


Tudo uma delícia só!

Planos de passeio e divertimentos para os pequenos que nos alegram muito também...

Praias visitadas... descontração total!

Tem brisa do mar... areia... conchas... guarda sóis coloridos... por falar nisso, a Praia do Forno em Arraial do Cabo (Região dos Lagos, RJ) é um show nesse aspecto... água morninha e um forno noutro sentido (pelo calorão que faz por lá)...

Visitas mais frequentes ao super mercado sem perder a descontração se fazem necessárias.... sem estresse... se duvidar, até tirando fotos... tudo é uma grande festa!

Parque infantil... pula pula... todo dia... haja diversão para o pequenino!

Horários diferentes para tudo... abertura ao novo e as novidades diárias...

Humor?

De bem com a vida... Claro!

Fotos e mais fotos... para variar um pouco... A posteridade agradece...



Na despedida até o Carnaval... para ouvir:

-"vovó, eu queio fica aqui pa sempi."...

E agora, meus queridos, o que faço sem vocês por perto?

Que faço eu da vida sem vocês?

Por que não me ensinaram a ficar bem quando vocês se vão para outro Estado e fica tão longe.. para o coração de uma mãe...

Só me resta a saudade imensa...

E muita roupa para cuidar: toalhas... lençóis... mas que trabalho que nada!

Até a próxima!

Se Deus quiser!


Minha história hoje queima na memória mas é marcada pela visita, de vez em vez, de vocês...

AMO VOCÊS, meus queridos filhos e netos!


Meu principezinho todo feliz com o lanche que o papai e mamãe trouxeram para ele...

-Vamos brincar de cabaninha, vovó?

Fazendo aviãozinho para passar o tempo frio e chuvoso...

E o titio agrada o sobrinho com o que ele escolhe para ser presenteado...

A Pracinha é sempre uma sensação!

Vamos balançar...


Foi à feira com a vovó e escolheu sua lembrancinha: um soldadinho sem arma...


E, na despedida, aquele abraço gostoso!


Que tarde fria e aquecida pelo coração!


Soltando bombinhas pelo mês junino...



Brincando com os animaizinhos na Pracinha...








Faz uma semana que vocês se foram, meus queridos...
Domingo é o dia da família por excelência...
A saudade aperta o nosso coração quando a família está incompleta...
Ainda bem que a mesma é dos dois lados...
Seria muito pior se assim não o fosse... claro!
Como Deus é bom por nos dar uma família!
(Recortes de algumas férias nossas)

sábado, 13 de fevereiro de 2016

A Avó é Mãe Multiplicado





"Ser Avó é reviver, em plenitude e em êxtase de poesia, o itinerário da paternidade.




Uma das mais queridas reminiscências de minha infância prende-se à figura da minha Avó pela linha materna. Sua idade avançada contrastava com a cor preta dos cabelos, a firmeza do olhar e a juventude da alma. 
Enfrentava com alegria os velhos trens da Leopoldina para o percurso do Rio, em direção a Cachoeiro de Itapemirim.



Sua vida era metódica.  Acordava muito cedo e embrenhava-se na escrita de páginas primorosas exaltando a Paz. Usava caneta com pena, molhada no tinteiro. Eu era seu secretário. Lia para ele textos sobre os mais variados assuntos. A avó alegava que seus olhos já não lhe permitiam enxergar muito bem. Hoje desconfio que, através desse expediente, o que ele pretendia era incutir, no neto, o amor dos livros. 

Também pedia que eu lhe datilografasse os manuscritos, numa bela máquina de escrever de fabricação alemã. De vez em quando, depois que todo o texto estava batido, ele resolvia intercalar um parágrafo, no miolo do escrito. Eu tinha então de bater tudo de novo. À noite, sentava-se perto da janela, para ver o movimento de pessoas passando pela Rua Vinte e Cinco de Março.  Bebia, infalivelmente, seu copo de leite, cochilava e às 9 horas já se ia deitar.


Que grande nobreza tinha aquela alma! No fim da vida, quando só se tem passado, minha avó descortinava o horizonte infinito – uma civilização de Amor, Justiça, Paz, Fraternidade.



Como a vida passa!  O neto que fui ontem tornou-se hoje um Avô. Quero ser tão bom para meus netinhos  quanto foram boas para mim os meus vovós."




domingo, 7 de fevereiro de 2016

Ler, Dignifica a Infância

















“A leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede.”
(Carlos Drummond de Andrade)